Você trabalha em home office aí no Brasil? Que tal fazer isso daqui de Portugal?


Nos últimos dois anos, a pandemia nos provou que o trabalho feito a partir de sua casa, o famoso home office, veio para ficar e reforçar que muitas profissões podem facilmente adaptar-se ao mundo digital.


Muitas empresas, mesmo depois de levantadas as restrições impostas pela pandemia, optaram por manter o regime de trabalho remoto como padrão por observar uma maior economia para as empresas e uma maior produtividade dos seus funcionários.


Por outro lado, uma pesquisa feita pela Owl Labs em 2019 mostrou que, embora quem trabalhe de casa acabe trabalhando mais, 71% dos entrevistados afirmaram estar felizes com seus empregos e com o modelo de trabalho que seguiam.


Com base nisso tudo, Um importante relatório do Fórum Econômico Mundial apresentou vários insights sobre o futuro do trabalho e entre os principais está o trabalho remoto, apontado como “um dos maiores veículos de transformação” no espaço de trabalho.


Se você já está trabalhando dessa forma ou pretende fazê-lo saiba que já é possível obter um visto de residência para Portugal que vem sendo chamado de visto do nômade digital.


Esse visto de residência é uma construção feita por advogadas que juntaram requisitos de outros dois vistos, o visto D2, destinado à profissionais liberais, com o visto D7, o visto de rendimentos passivos. Por isso, não adianta ir procurar no site da VSF ou do Consulado de Portugal porque você não achará nada nesse sentido, mas acredite, esses vistos têm sido amplamente aceitos por aqui desde que o solicitante comprove que tem os contratos de prestação de serviços ou de trabalho com o valor mínimo para subsistência por aqui.


Se tem interesse nesse tipo de visto, conte conosco para ajudá-lo. Peça um orçamento ou agende uma consulta conosco.

144 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo