O MELHOR MÉTODO PASSO A PASSO PARA IMIGRAR PARA PORTUGAL

Você decidiu que quer mudar para Portugal para ter mais qualidade de vida e agora não sabe por onde começar?

Ter muitas dúvidas em como realizar esse projeto é muito comum, até porque a maioria dos mortais não costuma mudar-se muito de país e a gente fica como barata tonta na hora de começar o PROJETO PORTUGAL.

Por isso, aqui na Living Porto criamos um método passo a passo para te ajudar nesse início:


PASSO 1. Faça uma reflexão sobre os motivos que te levam a querer mudar para Portugal.

Vontade de sair do Brasil não é igual a vontade de morar para Portugal. Analise muito bem os porquês que te fazem querer mudar para Portugal. Se tiver dificuldades com isso, faça uma lista dos motivos para sair do Brasil e outro das características de Portugal (com base em pesquisas, não na sua cabeça) e cruze essas informações para ver se estão congruentes. Você pode fazer isso com vários países para ter um panorama real.

Com isso feito, aconselho que escreva os motivos que te levam a querer mudar para Portugal e os guarde. Assim se você desanimar quando estiver enfrentando dificuldades no seu planejamento ou mesmo quando já estiver em terras lusitanas, você pode reler esses motivos e lembrar porque escolheu Portugal para morar.


PASSO 2. Descubra a forma de imigração correta (visto de residência ou nacionalidade europeia).

A vida de imigrante não é fácil, mas para quem vem de forma ilegal, as dificuldades são elevadas a milésima potência. Não faça isso, não arrisque seu tempo e dinheiro para vir ilegalmente e ver esse seu projeto acabar com você sendo convidado a se retirar do país ou, pior, na chegada ao aeroporto.

Existem algumas formas de migrar para Portugal legalmente:

- possuindo cidadania portuguesa ou de outro país da Europa.

- com um visto de residência.

Por sorte, Portugal oferece várias possibilidades de visto de residência.

Os tipos de vistos mais solicitados para quem pretende estabelecer residência em Portugal, com permanência superior a 1 ano são:


A) Empreendedores (incluindo Startup Visa) – D2


Para estrangeiros que tenham efetuado operações de investimento ou comprovem possuir meios financeiros disponíveis em Portugal.


A aceitação ou negativa do pedido de visto levará em conta a relevância económica e social do investimento feito ou proposto.

A aplicação do visto pode ocorrer com a demonstração de intenção de proceder a uma operação de investimento em território português ou mesmo com a comprovação de uma empresa que teve sua abertura anterior ao visto.

O facto de ter aberto uma empresa em Portugal não é, por si só, garantia de que o visto será concedido.


B) Profissionais com atividade independente (ex. advogados, engenheiros, etc.) – D2


Permite que o profissional independente exerça a profissão sem a necessidade de um contrato de trabalho formal.

O profissional independente tem a liberdade de exercer o seu trabalho com a emissão de recibos verdes, algo parecido com o PJ (Pessoa jurídica) no Brasil.

Há, porém, a necessidade de apresentação de uma promessa ou contrato de prestação de serviços no âmbito das profissões liberais.

Para tanto, deve ser habilitado a exercer atividade independente e estar enquadrado nos requisitos de sua área de atuação.


C) Estudantes – D4


Os cursos possíveis para aplicação do visto de estudante são:

- Licenciatura

- Mestrado

- Doutoramento

- Pós-doutoramento


D) Aposentados e ou com rendimentos próprios – D7

Se aplica a pessoas que já estejam aposentadas no Brasil ou que tenham rendimentos próprios (incluindo aplicações financeiras, aluguéis e outros rendimentos).

Deverão comprovar capacidade financeira com rendimentos suficientes e disponíveis, de acordo com o salário mínimo vigente em Portugal, nas seguintes proporções:

100% do Salário para o Titular do Visto (que hoje corresponde a 665,00€);

50% do Salário para cada adulto reagrupado;

30% do Salário para cada menor de idade ou familiar incapaz reagrupado.


No momento da aplicação do visto há a exigência que o candidato tenha o valore equivalente há 12 meses depositado em uma conta bancária portuguesa.


E) Trabalho subordinado (visto D1 ou D3)

Se aplica a pessoas que já possuem um contrato de trabalho ou uma promessa de contrato de trabalho.

IMPORTANTE: todo e qualquer visto é sempre solicitado no país de origem (Brasil), através de aplicação direta ao Consulado Português ou pela empresa terceirizada por eles.


Cada um desses vistos exige um investimento diferente, pesquise sobre isso e passe para o próximo passo.


PASSO 3. Análise se já tem o dinheiro necessário para investir no projeto imigração ou quanto tempo levará para obtê-lo.


Imigrar é uma ação que exige um investimento. Esse investimento vai desde a compra para passagens, taxas consulares para a obtenção do visto e em especial, o valor que você precisará trazer consigo para garantir a sua habitação e seu sustento no começo da mudança.

Faça uma pesquisa inicial de quanto precisará investir. Para ter uma referência, pode usar o valor do salário-mínimo vigente em Portugal e para trazer a família, acrescentar os percentuais indicados no visto D7. Mas tenha em mente que viver com isso só será possível nas cidades com baixo custo de vida no país e ainda assim apertado. Se quer morar em Lisboa, capital do país, considere o dobro do valor.

Com isso em mente, analise se já tem o valor do investimento necessário e se não tem, quanto tempo precisará para obtê-lo. Sabendo disso, comece o passo 4.


PASSO 4. Defina uma data provável de viagem.


Defina uma data provável de mudança juntamente com todos que vem morar em Portugal com você, levando em consideração quando terá o investimento necessário e se já tem, considerando o tempo para a obtenção do visto.

Se tem pets ou crianças não esqueça de considerar a necessidade deles antes de definir uma data.



PASSO 5. Crie seu planejamento migratório de forma estratégica e personalizada, criando um cronograma de trás para frente.


O planejamento migratório deve ser estratégico e feito de acordo com suas necessidades. São muitas ações que devem ser tomadas para mudar de país. Para isso, liste as principais metas e depois as divida em tarefas menores.

Faça um cronograma de trás para frente de acordo com a data provável de viagem e apesar de sabermos que imprevistos acontecem, tente respeitar as datas de cada tarefa, pois é tudo concatenado. Se atrasar uma tarefa, pode acabar por não conseguir mudar na data que pretende.


CHEGADA EM PORTUGAL

Se você seguir o MÉTODO LIVING PORTO DE IMIGRAÇÃO, vai conseguir chegar em Portugal de forma organizada, consciente e segura.


Mas lembre-se, o projeto de imigração para Portugal não termina aí. Ainda tem muitas fases no pós-chegada. Mas isso é um tema para outro post.


Se você quer ajuda no seu PROJETO PORTUGAL, conte com a LIVING PORTO.


Com o serviço Planejar, Chegar e Morar, vamos te ajudar com todos esses passos e muito mais.


Vamos acompanhar todo o seu planejamento migratório com consultas mensais e ainda deixar tudo pronto para você chegar e morar aqui em Portugal.


Clique aqui e peça seu orçamento do nosso serviço PLANEJAR, CHEGAR E MORAR.

407 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo